Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 18 - "I Must Confess..."

Capítulo 18 - I Must Confess...

 

 

As pernas davam sinal de cansaço. Perdera o tempo que corria. Não sabia ao certo onde estava, mas pareciam-lhe as ruas da cidade de Chicago - a cidade onde nascera. Sentiu que alguém a seguia e acelerou. Estava assustada. Repentinamente, à sua frente aparece-lhe uma cara conhecida, obrigando-a a travar.

- Sam? Que fazes aqui?

- Estive sempre aqui.

- Não, não. Tu não és real...

Ele agarrou-a pelos ombros, abanando-a. Consumindo-a. - Parece-te real?

- Não.

- Por que dizes isso?

- Tu morreste - Afirmou, sem medos, afastando-se.

- Não, tu morreste. E depois, eu morri.

- Tu morreste - Continua afirmando para si mesma, serrando os olhos. - És fruto da minha imagina...

Ele interrompeu, revirando os olhos, imitando-a. - Fruto da minha imaginação. Tão esperta, a doce Lexi.

- Vai-te embora...

- Queres que me vá embora? 

Voltou-lhe costas, amedrontada, e correu uns metros. A cena de perseguição era totalmente aterrorizante. O nevoeiro tapava-lhe a visão, mas continuou. Tinha de continuar. Ele travou-a, novamente. - Não tão rápido, Lexi.

- Pára, Sam - Ela pediu, ofegante, sentada no chão. Ele continuava a falar, a sorrir-lhe, mas a loira não entendia, ouvia, uma palavra. - Pára Samuel, sabes que te perdoou, mas tens de ir embora... Eu preciso que vás embora.

- Por quê?

- Tenho de seguir com a minha vida...

- Tu não queres que vá embora - Ele encolheu os ombros, encostado-a a uma parede.

- Estou a dizer-te que quero.

- Está relacionado com o Liam, não é? Tu gostas dele, e do Javier, da Hayley... Estarás com medo de lhes mostrar quem é a verdadeira Lexi?

O coração estava apressado. - Por que é que estás aqui? Estou tão cansada, Sam.

- Tu sabes o porquê.

- Sim, por causa de mim, não é? Mas não faz sentido - Afirmou, irritada, enquanto se levantava. Revoltada. - Tu é que mataste aquelas pessoas todas... Tu é que devias estar a ser castigado.

- E estou. Por ti - Ele desapareceu entre o nevoeiro.

 

***

2.jpg

Acordou sobressaltada. Encharcada em suor, com Liam sentado ao seu lado, olhando-a gravemente.

- Alison...

Saltou da cama, dirigindo-se à casa-de-banho. O pé de Liam entalou, impedindo que a loira fechasse, a porta. Olhou-a, as lágrimas corriam-lhe pela cara. Claro que não era comum. Aquela devia ser a segunda vez que a vira chorar. - Por favor, dá-me um segundo.

O segundo pareceu a Liam a eternidade.

- O que aconteceu?

A pergunta surpreendeu Liam. Ele é que devia perguntar-lhe aquilo! Quando finalmente saiu, parecia... Diferente. Apanhou o cabelo enquanto ouvia a explicação.

- Eu estava a dormir e... Ouvi-te gemer... Não era comum, Alison... Tu estavas em sofrimento. Levantei-me e quando cheguei aqui tentei acordar-te. 

- Desculpa... Já passou. Estou acordada.

- Estás acordada - Ele repetiu, olhando-a.

- Bom, é melhor voltares para o quarto azul.

Ele ficou estático, sem palavras. Disse-lhe "Não", e a loira passou as mãos na cara. Ela percebeu logo o que ia acontecer. Já devia ter acontecido, até. - Não vou voltar a dormir, depois do que aconteceu... Ouve-me, Alison... Eu sempre soube que me escondias coisas, mas nunca fugi. Não fugi antes e não fugi depois de saber. Não vou fugir agora...

- Ok - Ela disse. O coração acelerou. Sabia que o momento chegara.

- Acabaram-se os segredos, miúda.

- Ok - Repetiu.

- Por que... Nunca vais conseguir abandonar o passado, até perceber por que é que os flashbacks te assombram.

Ele tinha tanta, toda, a razão. Após um minuto de eye contact frenético, ela finalmente diz: - Tenho pesadelos com o Sam... Samuel. Não é sempre. Nós... Conversamos.

- Sobre o quê?

- Basicamente eu respondo às minhas próprias perguntas. É sempre a mesma coisa... De início estou assustada, tento fugir, mas acabamos por falar ou discutir... No final, estou alterada e é aí que ele se vai embora. Ás vezes não sei se é sonho ou realidade. Eu não gosto de recordar o Samuel. Ele marcou-me de uma maneira... Os barulhos, o escuro... E tenho medo de adormecer e de o recordar... Mas... Suponho que já saibas disso.

E quando finalmente ganhou coragem, a loira levantou-se, repentinamente. Liam ainda assentia as suas últimas palavras, o seu conforto, ao dizê-las - Onde vais?

- Vamos lá para baixo. Vamos beber chá... Ou uma cerveja... Tu escolhes.

O momento chegara.  

 

 

Se houver ainda alguém desse lado... Obrigado! 😉

Espero que tenham gostado do novo capítulo.

 

um beijinho,

Anna Williams.