Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 17 - "Where the Heart Is"

Capítulo 17 - Where the Heart Is

 

- É Parker. P-A-R-K-E-R - Alison repetiu, desta vez, soletrando. Tamboleava com os dedos na carteira, esperando uma resposta positiva.

- Desculpe menina, não costumamos ter muitas visitas neste mês - Arrastou a senhora, de meia idade já, com grandes olhos castanhos que a dominavam. O marido e também parceiro no negócio, procurava incessantemente o ficheiro. Acabou por desabafar: - Nem sei se vierem em bom dia.

- Só por que é Dezembro?

- Por que é Dezembro e vai chover. Como deve ser.

- Nós vimos na Internet, no site de meteorologia, e lá dizia que ia estar sol - Alison contrapôs, impaciente.

- Essas modernices. Há 40 anos atrás não tínhamos isso e sabíamos sempre quando ia chover. E hoje também sei - Ela insistiu. - Com os ossos, menina!

- Como disse que era o apelido?

- Parker - Voltou a dizer, bufando.

- Oh, encontrei, sim. Venha - Pediu o senhor, referindo-se a Liam. Dirigiram-se lá fora, enquanto Alison pagava e recebia algumas indicações.

Mas não esperou muito até a patriarca teimar: - Para quando o casamento?

- Desculpe... Como?

- Aquele rapaz... Não tira os olhos de si.

- Oh - A loira suspirou, percebendo finalmente. - Nós somos... Amigos... Ou colegas de faculdade, ahm...

- Não perguntei isso - A senhora confirmou, observando cada movimento, cada excitação, cada nervosismo da loira, enquanto guardava a carteira. - Sabia que ele está apaixonado por si?

- Sei.

- Tal como a chuva, as coisas devem ser como devem ser - Continuava, deixando Alison sem resposta. Na verdade, ela não percebeu nada. Estaria ela a falar da chuva? Que está destinada a cair? Quando se preparava para sair, a arcaica insistiu: - Então do que está à espera?

- Para quê?

- Para lhe dizer que sente o mesmo...

Sem objeção, saiu. Olhou para trás, e a idosa continuava a espreitar, pela janela. Apressou o passo até ao lago, já lá estava Liam. Entrou também e o homem empurrou o barco.

Não remaram muito até poderem contemplar a floresta. Era imensa. O reflexo das árvores parecia tirado de uma pintura e o ruído das mesmas era doce, fresco, unicamente, apesar de Dezembro.  A vida real ficara para trás, bem longe. Era quase um sonho. Infinito, suave que os envolvia. 

- Isto é lindo - Liam finalmente comentou, encantado.

 

***

- Pára de olhar para mim.

- Não consigo - Ele respondeu, tipicamente.

- Bom, é constrangedor... Até as pessoas reparam - Alison explicou, não esquecendo a conversa com a senhora do aluguer, mas Liam continuava a olhá-la, sereno. - O que foi?

- És tu, miúda - Ele admitiu. - És linda.

Na verdade, Liam estava a pensar em tudo o que tinha acontecido, nos últimos meses. Conheceu a Alison no escuro, ela iluminou-o, levantou-o e fê-lo sentir que fosse suficiente. Ou talvez fosse o contrário. Talvez Alison também estava no escuro.

E o que começou com uma rajada de vento, rapidamente evoluiu para chuva forte. As nuvens encobriram o sol - ficou escuro. Inesperadamente, o tempo tinha acabado de mudar.

- Não acredito que a velha tinha razão - O moreno barafustou, tentando inutilmente, abrigar-se das gotas de chuva. O pior, é que estavam mesmo afastados de qualquer margem.

Alison largou o remo. Abriu os braços e a cabeça cambaleou para trás, rindo.

- O que estás a fazer, miúda? Não páres de remar!

Chovia imenso e Alison ri-a imenso. 

Gritou-lhe várias vezes, enquanto remava incessantemente. Percebeu que Alison também se ria do seu estado. Lunático, ela afirmou. A remar como um lunático. Que não tinham qualquer hipótese com a chuva. 

Puxaram a embarcação para terra e abrigaram-se debaixo de uma árvore. Alison só ria. E foi então que correu para fora, rodopiando. Ela estava a dançar. Ela estava a dançar na chuva. Então, totalmente encharcada, sorriu sobre o ombro, e olhou para trás.

- Anda, Liam.

Nesse momento, ele, mais sóbrio e delicado, retribuiu-lhe o sorriso, caminhando. Ela parecia tão bonita, como sempre. Puxou-a para perto do seu peito. Esperou tanto para fazê-lo. Sabia que continuava a amá-la, mas se calhar ela nunca soube, achando brincadeira. Talvez por que Liam fingiu ser tranquilo e "ok" quando Alison se foi embora. Quando ele a deixou ir. Sabia que precisava dela, e ultimamente tinha mostrado isso.

Claro que ele queria dançar com ela.

E por um minuto, esqueceu tudo.

Exceto onde o coração está.

 

 

Muito obrigado por todo o apoio! 😊

 

 

um beijinho,

Anna Williams.