Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 1 - "Crash Into You"

Parte I 

 

Capítulo 1 - Crash Into You

image

Quando a Alison entrou nas nossas vidas, um mês após o começo do novo ano letivo, era impossível não passar despercebida, mas não por ser a new girl. Tentava ser discreta, mas a cada passo que dava, era mais cativante acompanha-la. De início achei improvável, daí ter prestado pouca atenção. Por favor, leiam com atenção e percebam aquilo que eu não fui capaz de perceber.

Estávamos no Outono, e teimava a usar uns calções justos. Irónico, não é? Óbvio que a rotularam de imediato. Mas não foi isso que chamou a atenção de Liam, o seu pequeno alegado erro, alterou o percurso.

 

Era sexta-feira e a turma tinha ainda uma aula da parte da tarde. Português, como lhe chamavam.

- Esse lugar é meu - Informou Liam.

- Compraste-o? - Respondeu de imediato, também séria. Levantou os olhos do caderno quando se ouviram risos vindo do canto da sala.

Javier sentou-se no lugar do lado, rindo. - Hermano, fica na paz - Sentou-se na mesa do lado. A aula começou, e claro que Javier meteu conversa, não sendo ele o perfeito engatatão. - Não ligues ao mau humor do Liam, é um parolo - A rapariga soltou um riso, meio envergonhado. Javier continuou a olhá-la, totalmente à vontade. Saindo-se desta maneira: - Estou a conhecer-te de algum lado...

- Essa já é velha...

- Já estudaste cá? Como disseste que te chamavas?

- Alison - Apresentou-se lentamente, suspirando. Passado os primeiros minutos de aulas, tirados os primeiros apontamentos informativos, continuou: - Estudei cá um ano, mas é impossível que me conheças.

- Então, por quê?

- Porque eu digo - Respondeu-lhe sem demoras, e sorriu-lhe. Depois, tentou pronunciar o seu nome de maneira correta, impressionando: - Ja-vi-er... Espanhol?

- Mais ou menos. A minha mãe é venezuelana e o meu pai mexicano - Explicou rindo. Sim, era uma combinação improvável, mas muito feliz. Foi distribuído umas folhas de exercícios, e começaram a fazer. Ou tentar. Javier, mais uma vez, não se conteve. - Então essas férias foram prolongadas... Por onde andaste?

- Hamptons.

 

 ***

Deu o toque para a saída e Liam foi o primeiro a sair. Esperou que Alison também saísse e depois aproximou-se. Agarrou-a pelo braço e em tom de ameaça proferiu: - Não tentes humilhar-me, novamente, senão vais dar-te mal. Acredita quando digo que tanto posso pôr as pessoas a rir como a chorar, miúda.

Foi tão inesperado que Alison não sabia o que responder. Quando finalmente se soltou, franziu a testa e perguntou: - Qual é o teu problema?

E desceu as escadas receosa. Desde quando é que os homens ficaram tão... agressivos?

- Sim... Qual é o teu problema?

- Bom - Começou por dizer, respondendo ao comentário do grupo - Ela sentou-se no meu lugar.

- Isso não é um problema, Liam - Afirmou Isobel. - Problemas são: a poluição, a corrupção, a pobreza e óbvio... todas as manhãs não haver um lugar para eu estacionar.

- Não há por que chegas tarde - Retorquiu Eric.

- Chego tarde porque estaciono quase a 1 km da escola...

Continuaram a rir, mas Javier continuava com dúvidas e, como sempre, não conseguiu manter a boca fechada - Sabem... a Alison... 

Liam interrompeu, elevando o tom de voz: - Digam-me que as nossas conversas não vão basear-se na miúda nova...

- Hermano, eu tenho um feeling. Eu conheço-a.

- Tu conheces sempre todas - Informou Isobel, trocando olhares cúmplices com Wendy, seguido de um não-controlado riso. Os rapazes olharam-nas estranhamente e as duas amigas ainda riram mais. Nos corredores movimentados da escola, o recente grupo continuou a falar, porém, Liam não os ouvia. Faziam um grupo diferente. Com excepção de Liam e Javier, o restante só se conheceu no início do ano escolar. Apesar de não frequentarem todos as mesmas disciplinas, tornaram-se inseparáveis.

- Qual é o problema de gostar de conhecer pessoas?

- O problema, Javier - Começou por dizer Eric, calmamente. - Tu não tens problema em conhecer pessoas e criar uma relação com elas... O problema... é que depois não sabes manter a relação.

- Já chega. Não quero mais conversas com vocês!

- Só provas que temos razão, não é amor? - Questionou metendo o braço à volta dos ombros de Wendy, que permaneceu quieta, acenando só com a cabeça.

- Adiós, falsos amigos! - Exclamou, em espanhol, acelerando o passo em direcção ao carro de Liam. O restante grupo, propositadamente ou não, ficou junto à porta que dava acesso à escola, trocando apontamentos. Aborrecido, e como se fosse Liam a depender da sua boleia, berrou: - LIAM! Vens ou não?

E lá chegou Liam, com os olhos arregalados, tirando a chave do carro. A zanga do espanhol não durou tempo nenhum. No seu sangue percorria boa disposição. - Então... Podes perguntar ao Dave se conhece a Alison? Ele também já andou nesta escola. Só por curiosidade...

- Bom, eu não tenho tempo para curiosidades e aposto que o Dave também não - Murmurou enquanto atirava com os livros para o banco traseiro.

O outro amuou, novamente.

 

***

A semana ainda não tinha terminado para Liam e Javier. Ambos trabalhavam num Resort de Golf, de carácter luxuoso após a aulas. Também fazia atividades de ténis e fitness para sócios. O turno da tarde era de bar - o melhor, pois sempre dava espaço para algumas conversas.

Quando ambos viram que, em espera, junto à janela se encontrava Alison, a nova colega, não queriam acreditar. Talvez ela também fosse sócia.

- Hola, belleza! - Exclamou Javier com pronuncia espanholada, mostrando a mesa livre. Levantou os olhos do telemóvel, adotando uma postura diferente da escola. Porém, continuava séria. Liam aproximou-se com a ementa, que Alison dispensou no momento que se sentou. Mais formal, vestia umas jeans justas e uma blusa assimétrica. - O que vais querer?

- Uma omelete - Deixou escapar da boca, enquanto mexia no iPhone. Depois, calmamente, pousou-o. Quando Javier se afastou, Alison olhou a Liam. O seu olhar era intrigante. - Posso sentar-me aqui?

- Sim, podes.

- Vocês trabalham aqui?

- Ainda há quem precise de ganhar de dinheiro.

- Talvez para gastar em cadeiras escolares - Afirmou ironicamente.

- Mais alguma coisa para acrescentar à conta?

- Legumes.

- O quê? - Todo aquele eye contact deixou-o mais confuso.

- Sim. Quero uma omelete. De legumes. E uma água - Expressou-se detalhadamente. Mais uma vez, não se compreendeu se estava a fazer troça.

Liam voltou à cozinha, baralhado, e anotou o pedido. Enquanto esperavam, conversaram um pouco.

- Sabes, Liam - Proferiu em espanhol. Sim, Javier tem por habito de falar espanhol, na maior parte das vezes para desabafar sem ser percebido, impressionar uma rapariga. Liam já o conhecia há uns longos cinco anos, daí apanhar a maior parte das palavras espanholadas. - Não compreendo qual é a falha. A minha, está claro.

- Javi...

- Eu sou perfeito. Tu metes argolada em tudo. Ela acaba interessada em ti.

- Eu já sabia - Admitiu, bufando. Pegou numa água e olhou para a cozinha, controlando. 

- Sabes tu e sei eu. Estás a falar com o Don Juan cá do sítio!

- Javier, ninguém gosta de ti casamenteiro. Por que não te dedicas à pesca?

- Admite que, pelo menos, estás com curiosidade.

- Não estou, e queres o motivo? É típico - Javier levantou a sobrancelha, mas estava atento. - Rapaz conhece rapariga e apaixonam-se. Ele é pobre, trabalha e estuda ao mesmo tempo. Ela... - Procurou descrever a possível protagonista de uma história jovial. Ou apenas a vida da rapariga nova. - Ela rica, mal-educada, frequenta lugares da alta. Passa férias nos Hamptons, mas inteligência passa-lha ao lado. Após várias peripécias, o amor vence e ficam juntos. Típico.

- Só não compreendo porque não estou incluído na sinopse. 

- A sério?

- Mas é claro, eu é que meti conversa - Liam soltou um riso, enquanto pegava no prato e juntava os talheres. Nenhum momento junto de Javier era aborrecido. De todo. Passou-lhe o prato e Javier lançou-lhe um sorriso sedutor. - Vou tentar outra vez - E lá foi como um verdadeiro garçon entregar o pedido. - Senhorita.

Alison agradeceu e procurou na mala a carteira. Tirou duas notas pousando-as na mesa. Abriu a garrafa de água e antes de dar o primeiro golo, disse: - Divide o troco com o teu amigo.

Regressou para trás do balcão, mas Liam nem notou a sua presença, perdido nos olhares com Alison. - Afinal sempre estás com curiosidade.

- Não estou - Suspirou, reparando que Javier permaneceu a olhar. - O que foi, agora?

- Gorjeta da colega nova - Afirmou sorrindo, guardando o troco no bolso traseiro. - Vou ligar ao Eric. Logo à noite vamos à cidade.

- Não sei se alinha.

- Até parece que vamos para um clube de strip-tease - Liam tentava esconder o riso, servindo um copo de whisky a um novo cliente. - O quê? Ele é comprometido, não cego.

 

 

Aqui está uma "introdução" à narração, ficou mais desenvolvida do que imaginei...

 Como sabem, tenho por hábito publicar 2-3 vezes por semana, sem dia fixo, só mediante aderência, mas gostava de ter a vossa opinião relativamente a disponibilidade, pois não quero sobrecarregar-vos com capítulos. Têm algum(ns) dia(s) preferido(s) para ler?

Não se esqueçam de aderir às subscrições ✌️

 

 

um beijinho,

Annie 

9 comentários

Comentar post