Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 14 - "Keep your friends close"

Capítulo 14 - "Keep your friends close"

 

- Ashley, por favor, deixa-me explicar!

- Nada do que irás dizer, poderá mudar a situação! - Dirigiu-se para o quarto. Agarrou numas roupas e colocou-as de forma bruta dentro de um saco. - Vou-me embora.

- Vais embora para onde? - Abanou a cabeça e agarrou no braço da loira. Nada daquilo fazia sentido. - Desculpa.

- Tu mentiste-me. Portanto, eu não confio em ti. 

 

- 12 HORAS ANTES -

 

- Robert! - Já era a terceira vez que Andie gritava, mas sem sucesso. Havia bastante nuvens no céu e já começara a chover. Robert saiu totalmente desvairado da casa de Andie. Correu atrás dele até que finalmente o apanhou - O que se passou? Porque é que tu e o meu pai discutiram? - Robert abanou a cabeça afastando a namorada. - Não me queres contar o que se passou? Queres ir embora?

- É melhor voltares para dentro - Afirmou carinhosamente. - Lamento que o jantar tenha dado para o torto. Nem sequer me despedi da tua mãe, desculpa...

- Vai-te embora então, mas deixa-me poupar-te trabalho. Quando chegares ao carro, vais dar meia volta e voltar, sabes porquê? - Questionou bastante séria e, de seguida, esboçou um pequeno riso de gozo. - Porque eu tenho as chaves.

- Porque é que consegues fazer de uma péssima situação algo bom? - Tentou tirar a chaves da mão de Andie mas sem desfecho. Pareciam duas crianças a brincar. - Dá-me!

- Eu vou contigo, não importa onde vás - Afirmou confiante enquanto caminhava para o carro - E o mais importante: I drive - Entraram para o carro e Robert não disse uma única palavra. Sabia que Andie era uma pessoa de ideias fixas. Passado uns metros de viagem não conseguiu permanecer mais tempo.

- Então e o teu pai? E a tua família? - Andie encostou junto ao passeio enquanto o ouvia falar. Estava finalmente pronto para contar tudo o que se passou. A vista era fabulosa. Uma das maiores cidades dos Estado Unidos à noite, apinhada de gente, de carros, de luzes.

Ouviu cuidadosamente cada palavra que o namorado proferiu.

Abanou a cabeça, sinónimo de desilusão.

 

***

- É que nem faz sentido. O meu pai não tinha o direito de fazer o que fez, lamento. 

- Liga ao teu pai e resolve esta situação. Tu não tens de ficar de relações cortadas por causa de mim - Pousou a sua mão em cima da de Andie. - Eu é que lamento.

- Não, Robert. Lamento que o meu pai não possa ver a filha feliz.

- Mesmo assim...

- Não vou voltar atrás. A culpa é dele e da sua arrogância. Estou apaixonada por ti, e é só isso que me importa. Não vivemos no século XIX para haver consentimento entre pais e filhos, não é? - Abanou os ombros e pegou no telemóvel enviando várias sms.

Robert olhou-a meio confuso. - Como poderei eu negar essas afirmações?

- A enviar para Zac e Cam. Eles são meus amigos, querem o bem desta relação, tanto como nós e, visto que tenho sido uma péssima amiga, quero remediar a situação. Quero estar rodeada de boas pessoas. Sabes o que dizem... - Pousou o telemóvel e passou a mão na cara do namorado. - Keep your friends close, darling.

Desta maneira, foi antecipada a mudança de Andie para o novo apartamento junto de Robert. Nessa noite dormiram num sofá, apertadinhos e agarradinhos, como o primeiro sonho da rapariga. Adorava cada segundo que passava com o britânico. Foi a melhor coisa que aconteceu desde a sua chegada a Los Angeles, no ano passado. Estava apaixonada como há muito não ficava. 

No dia seguinte combinaram arranjar o resto do móveis juntamente com Zac e Cam - curiosamente estão a dar-se muito bem -, foi também uma desculpa para se aproximarem todos. Finalmente o pequeno apartamento estava a ter um ar de "casa." 

 

*** 

❝Tenho a certeza que eles estão bem, não é preciso estares assim." (...) "Não Kelly, eles não vão terminar coisa nenhuma." (...) "Liga-lhe, não tens culpa de nada, está bem?" (...) "Tenho a certeza. Depois falamos, amor.❞

Desligou a chamada e olhou ao relógio. Marcava 09.15h.

Olhou para a loira, sem saber o que dizer.

- Podes fazer o favor de me explicar que raio vem a ser isto! - Exclamou Ashley atirando a carta para a bancada. - Agora, Ethan! 

- O que foi? Eu sei que errei, sei que a Kelly errou, mas tínhamos boas intensões...

- Are you kidding me? - Perguntou Ashley, enervada. - Eu acordei com a assistente social a tocar à minha porta a questionar-me sobre a filha que dei para adopção quando tinha 16 anos! Pior: mostrou-me um papel com a minha assinatura supostamente para a conhecer! Quando na altura ficou bem claro que eu nunca deveria voltar atrás com a decisão! Achas isto normal?

- Sim! - Gritou Ethan. - É a maneira dos teus amigos mostrarem que gostam de ti e que se preocupam contigo, fazendo com que tires proveito da vida!

- Porque é que eu sou tão estúpida? - Correu para a casa-de-banho onde trancou a porta apesar de continuar a falar. Ethan seguiu-a. - Disses-te que ias a New York buscar uns papeis do High School para a Academia, mas, em vez disso, foste remexer em coisas da minha vida pessoal! E eu... eu acreditei em ti.

- Ashley, deixa de ser teatral!

- Quero ver como te arranjas sem mim.

Sem sucesso, de punho fechado, bateu várias vezes na porta. Mas agora, agora sentiu medo. Nunca antes houve uma ameaça aquela amizade. - Tens razão! Abre a porta... vamos conversar! - Finalmente a loira a abriu. - Ash!

- Vocês falsificaram a minha assinatura! Eu nunca mais quero voltar a olhar para a tua cara!

- Ashley, por favor, deixa-me explicar!

- Nada do que irás dizer, poderá mudar a situação! - Dirigiu-se para o quarto. Agarrou numas roupas e colocou-as de forma bruta dentro de um saco. - Vou-me embora.

- Vais embora para onde? - Abanou a cabeça e agarrou no braço da loira. Nada daquilo fazia sentido. - Desculpa.

- Tu mentiste-me. Portanto, eu não confio em ti. 

 

 

um beijinho,

Annie 

10 comentários

Comentar post