Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 21 - "Perfect Storm"

Capítulo 21 - "Perfect Storm"

 

A tão esperada noite finalmente chegou. Era um evento de nível mundial, organizado à mais de 6 meses por trabalhadores incansáveis. Espectáculo prestigioso de entregas de prémios na industria cinematográfica. Tinha sido acrescentado às infra-estruturas uma cobertura especial, devido à intensidade de chuva. Iriam reunir-se estrelas de todos os níveis. Um grande passo na relação de Andie e Robert, algo internacional, que iria ser visto algures pelo mundo. O resultado? Só podia ser estrondoso. 

O outfit de Andie era algo mesmo maravilhoso. Um vestido preto (oferecido pelo Robert) justo até aos pés com o pormenor de uma linda racha na perna esquerda, do estilista Miguel Vieira - de nacionalidade portuguesa -, as sandálias eram de salto-alto e a clutch (também pretas). E as jóias? Perguntam vocês. As jóias sobressaíam. Colar dourado, brincos e pulseira a condizer. Batom vermelho. O cabelo (ou o que restava dele) estava num lindo apanhado.

Na passadeira vermelha estavam uma variadíssima quantidade de artistas. Música, teatro, cinema. Todos os géneros e mais alguns. Um grupo de amigos já bastante antigo, riam e conversavam. Robert Pattinson, Zac Efron, Ian Somerhalder, Paul Wesley e Kellan Lutz davam bastante nas vistas com os seus belíssimos fatos de gala. 

- Rapazes, uma fotografia para a E!

- Sim, quero mandar um beijo muito especial para as minhas fãs de Portugal, quero conhecer esse fantástico país! - Comentou Ian Somerhalder, enviando um beijo com a mão terminando com o seu sorriso sedutor. Regressou de imediato para perto dos seus colegas de série, Nina Dobrev e Paul Wesley, onde distribuíram autógrafos.

As fãs berraram histéricas.

Mais à frente, com fotografias e acenos estava o nosso casal.

 

***

- Finalmente te encontro! - Abraçaram-se. O britânico reparou no quanto estava bonita a namorada. Bonita? Não, algo grandioso. Arrebatou o seu coração de tal maneira que não tirava os olhos de cima.

- Já conheci tanta gente famosa! As Kardashians estão cá, a Madonna, o Simon Cowell... - Suspirou de euforia, recomeçando logo de seguida: - Não vais acreditar, mas falei com um produtor - não me recordo o nome - super simpático. Ele vai realizar um musical no próximo mês e quer que eu faça a audição! - Explicou muito rápido dando vários saltinhos de felicidade.

Robert desconfiou, mas tentou não mostrar. O que o levou a desvalorizar a situação, comentando apenas um "Que bom! Depois quero saber pormenores.", mas Andie parecia ligada à ficha. Influencia de flashes ou deslumbramento?: - Não me sinto nada confortável. Estou a usar um colar de 20 mil dólares!

- Eu sei, babe. É por esse motivo que irei devolvê-lo.

- Muito agradecida!

- Pensei que a ironia tivesse ficado em casa.

- O que tens hoje? Pára de implicar comigo.

Robert bufou, dando de seguida um enorme beijo que foi fotografado por centenas de fotógrafos. Vai uma aposta que seriam capa de revista no dia seguinte? Aproximaram-se jornalistas, prontos para as habituais perguntas. O britânico agarrou a mão da namorada, que estava nervosa.

- Robert, demorou quanto tempo a arranjar-se? Está a divertir-se?

- Claro que sim! Oh, nem chegou a uma hora. I hate wearing suits, I feel like a penguin.

A jornalista riu, passando à próxima questão, dirigida a Andie: - Que tem a dizer acerca disto?

- Penguins são adoráveis portanto... - O casal riu-se e trocou olhares.

- Ok, pombinhos! Que tem esta rapariga de especial para ti?

- Oh, essa tem rasteira, não tem? Eu não sei. A maneira como ri, como olha, como dorme...

- Então e tu, Andie?

- Gosto mais dele do que de pizza.

- E ela adora pizza!

 

***

- Evacuar! Evacuar! Evacuar!

Ordenavam os seguranças. Robert sabia que tinha de ir para dento, mas não conseguia fazê-lo sem Andie.

Entre gritos assustados, deparou-se com Zac, ajudando a levantar uma criança e encaminhou-a para dentro. Tentou alcança-lo. - ZAC! - Finalmente se virou. - Viste a Andie?

- Que fazes aqui? Tens de ir para dentro. 

- Sim, eu sei! Viste a Andie?

- Não... - Profissionais voltaram a mostrar descontentamento ao levá-los para dentro. Parecia o fim do mundo. Gritos por todos o lado, pessoas por todo o lado.

- Perdia por apenas dois minutos e, de repente, desabou tudo!

- Mantém-te calmo. Provavelmente ela está lá dentro. - Apressaram o passo, correndo todos os cantos procurando a rapariga. Não havia sinal. Zac notou preocupação ao ver o britânico desvairado, com os olhos de um louco inquieto. Desprevenido de juízo. Já prevendo a ação seguinte: - É que nem penses nisso.   

- Vou procurá-la.

- Onde?

- Lá fora, Zac. Ela não conhece ninguém... não é como nós.

- Bom, mas lá fora está um louco qualquer com uma arma. Uma arma!

- E achas que este é um sítio mais seguro? Não é. Talvez já tenha plantado uma bomba ou algo do género. Los Angeles não é seguro. 

Virou costas, deparando-se com a esmagadora realidade. A maioria dos artistas tirava selfies divertidas, sem qualquer preocupação com o grava problema lá fora. Uma futura ameaça mundial, quem sabe? O resto estavam conscientes, uns mais calmos do que os outros, saindo ordenadamente do edifício. 

Sabia que podia colocar a sua vida em risto, mas não queria saber. A Andie vem em primeiro lugar. Foi então que se sentiu inseguramente acolhedor. Virou-se.

- Vá, vamos procurá-la. Já não vão servir o jantar de qualquer forma. - Disse enquanto esticava o corta-vento ao amigo, que riu. Lembrou-se de Joe, sempre pensando em comer.

 

***

Percorreram várias ruas com os seus fatos de gala e sapatos, geralmente em couro ou camurça, de bico clássico, todo ele envernizado. Na realidade, o corta-vento de pouco serve em dias de tempestade.

Ao longe, ambos viram uma silhueta. Totalmente encharcados, correram até à figura feminina, num estado idêntico, tombada no chão. Era Andie.

- ESTÁS BEM? 

- Meus Deus, tens sangue!

Repetiram várias vezes, assustados. O britânico logo se debruçou tentando levantar Andie. 

Gelada e assustada, ela disse: - Não é meu. Não é meu.

Ninguém contava na caixinha de surpresas que aquela noite iria ser. Finalmente a rapariga contou o sucedido. Sim, um homem armado, disparou várias vezes. Uma das coberturas foi derrubada. Outro homem foi alvejado mesmo à sua frente, tentou ajudá-lo até ser reencaminhado para o hospital, mas depois sentiu-se perdida. E correu. Correu o máximo que pôde, até se deixar ir. Parecia um pesadelo.

Foi então que Robert se aproximou, olhou fixamente nos seus olhos e apenas viu medo. - Eu vou proteger-te com a minha vida.

Caminharam os três até conseguirem chamar o primeiro táxi que os levou finalmente para um sítio seguro - casa. Após um banho quente e relaxante, mensagens e chamadas respondidas de amigos preocupados, finalmente Andie e Robert se deitaram. Ele afirmou que lamentava o que disse na passadeira vermelha, não queria magoa-la de nenhum modo. E foi apenas isso. Nenhum dos dois fez mais comentários. Ashley ainda estudava na Academia, portanto estavam só os dois.

De costas com costas, ambos acordados, tentavam esquecer o máximo daquela noite.

- Robert... - Gemeu a rapariga voltando-se para o lado do namorado. Não conseguia perceber se estava, ou não, acordado, portanto continuou falando baixo: - Obrigado por seres o meu herói incondicional.

Voltou-se para o outro lado e fechou os olhos. Sentiu o britânico a virar-se e aproximar-se. Abraçou-a por trás, sinónimo de aconchego. Estava finalmente quente.

- Foi o que eu sempre quis ser. - Sussurrou enquanto entrelaçavam os pés. Era a chamada: Tempestade Perfeita.

 

 

um beijinho,

Annie 

8 comentários

Comentar post