Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 5 - "Unknowns Knowns"

Capítulo 5 - Unknowns Knowns

 julianne hough image

- Bom dia! - Ecoou novamente a voz de Chad, admirado com toda a decoração. Alguém se tinha levantado cedo. Melhor, alguém não foi à cama. Ainda incompleto, mas bonito. Como tudo o que Alison escolhe.

- Anda, vem tomar o pequeno-almoço.

Surpreso com tanta simpatia, sentou-se. - O que se passou?

- Come as tuas panquecas.

- Estão envenenadas?

- Sim, é por isso que quero que as comas - Admitiu Alison, lançando uma gargalhada. Chad comeu tudo de seguida, ouvindo a irmã explicando como quer decorar a casa. Comprou dois tapetes on-line que seriam entregues na semana seguinte, provavelmente a rapariga estaria em casa para os receber, mas queria avisar o irmão, de qualquer forma. - Quero compensar-te por tudo o que fizeste por mim. Especialmente nestes últimos anos. Abdicaste de muita coisa....

- Pela tua segurança - Interrompeu. - O mais importante para mim é a tua segurança.

- Mas isto é um novo começo. Para ambos.

Chad riu, estava a pensar no mesmo. - Eu sei, Al. É por isso que aceitei quando o Dave perguntou se estava disponível para fazer umas horas na oficina.

Ambos sorriram. Ainda se estavam a habituar a viver juntos, mas com o tempo tudo ia dar certo. Tinham uma casa. Tinham trabalho. E, a cima de tudo, tinham-se um ao outro.

- Quero falar-te do Liam... O irmão do Dave.

- O que tem ele? - Questionou, parando de comer. A sua atitude mudou, radicalmente.

- Ele contou-me coisas... Contou-me sobre o acidente.

- Esta conversa acabou - Pegou na tigela e no prato das panquecas, deixando-as no lava-loiça. Estava irritado, mas não queria mostrar. Não queria mostrar-se bruto para a irmã. Então, tentou mudar o assunto: - Temos de começar a ver máquinas de lavar.

- Chad... Ouve-me!

- Se te contou do acidente, também te deve ter contado que a culpa foi toda dele. Ele aniquilou a carreira do Dave logo à nascença. Acabou com a sua imagem. Tudo - Parou de falar quando percebeu que estava a ir longe de mais. Mas aquele era um assunto muito delicado. - Al, ele não é um rapaz com quem te queiras dar.

- Porquê? Por que ele cometeu um erro?

 

***

pretty little liars and diego boneta image

No dia seguinte, Liam tinha o turno da manhã no Resort do Golf, juntamente com Javier. Chegou tarde, deixou-se dormir, mas o amigo já tinha dado a sua entrada, juntamente com a sua. Ainda não tinham trocado uma única palavra e isso era um sinal que algo não estava bem.

Assim que encaminhou o sócio para o campo de golf, aproximou-se de Javier, que limpava talheres.

- Estás zangado?

- Em toda a história da nossa amizade, que não começou ontem, apenas fiquei zangado uma vez. Uma única vez. Tu sabes o motivo. Eu sei o motivo. Mas já passou. Eu estou sempre do teu lado, não mereço que me mintas.

- Javi...

- Não, Liam - Disse, tentando recompor-se, antes de ir atender um novo cliente. - Mereço mais de ti!

Como bom profissional, terminou a tarefa de Javier e colocou as mesas prontas para os almoços. Eram sempre esperadas cerca de sessenta pessoas e com a aproximação das férias o número aumenta. Quando olhou à cozinha, estava Javier a fazer as entradas, que lhes cabe. O cozinheiro só chegava por volta do meio-dia.

- O que a Alison se referia... Era uma entrevista no clube. Já te tinha dito que o Dave precisa de dinheiro e... é claro que fui. Quiseram pôr-me à experiência na noite passada, só consegui sair de lá pelas três da manhã.

- Vês? Não foi assim tão complicado contar.

- Eu não sabia o que esperar da noite de ontem.

Javier nada disse. Terminou as entradas, colocando-as no balcão. Depois regressou, guardando os restos, enquanto Liam tratava do lixo.

- Ficas-te com o trabalho?

- Fiquei.

- Ficaste com a miúda?

- Javi...

- Só estás a tentar enganar-te a ti próprio. Eu conheço-te, é por isso que sei que tens curiosidade. Mas se te reconforta mentires-me, podes continuar a fazê-lo.

 

***

chanel, diego boneta, and horror image

- Quero duas fotocópias destas quatro páginas - Começou por dizer Alison, pousando os livros no balcão e abrindo na página correta.

O rapaz que se virou repentinamente era Javier, o espanhol amigo de Liam. - Hola, beleza - Cumprimentou, pegando num dos livros.

Ele parecia triste. Não que Alison já o conhecesse bem, mas quando a saudou, não foi com aquela energia espanholada que costumava ter. Talvez estivesse cansado, afinal, já eram cinco da tarde. Tentou quebrar o gelo, gozando: - Parabéns pela promoção de bibliotecário.

- Quatro cópias?

- Não, duas de cada página.

Desculpou-se e voltou-lhe as costas. Carregou em vários botões da impressora, mas a máquina só fazia um ruído estranho. Só quando lhe bateu de lado é que começou a trabalhar. Nesta altura Javier devia ter lançado alguma piada, mas não o fez. Juntou as cópias colocando-as de frente para Alison.

- Em que turno é que o Liam está hoje? - Questionou colocando as moedas no balcão.

- Posso saber o motivo? - Retorquiu seguidamente, já mostrando algum interesse.

Ela sorriu. As coisas estavam a melhorar. - Metade destas cópias são para ele estudar.

- Fico satisfeito que tenham resolvido as vossas divergências.

- Divergências?

- Divergências de espaço.

Alison guardou a carteira, e timidamente uma gargalhada. Colocou as cópias dentro de uma pasta cor-de-rosa. Tentando apimentar: - Talvez passe pelo Resort para lhe entregar.

- Espera - Pediu Javier. - Sabes o que me fazia feliz?

- Não ser bibliotecário?

- Também - Admitiu, rindo. Depois aproximou-se e, como bom engatatão que era, piscou-lhe o olho. - Apareceres na minha casa no próximo sábado. Há festa!

- Festa de quê?

- Estamos em Outubro. E é o fim-de-semana da resistência indígena. É feriado na Venezuela e a minha mãe, obcecada com todas essas coisas, organiza sempre uma festa. Para além de também ser feriado cá - Ela ficou séria, pensativa, afastou-se e fechou a mala. Por momentos, Javier conheceu aquele olhar remitente. - Não tens como dizer que não à minha mãe...

- No sábado trabalho até tarde.

- O Liam também... Talvez possam vir juntos - Voltou a piscar-lhe o olho.

Alison quase se desmanchou a rir, mas não gostava de perder aquela postura séria. Então, agarrou nos seus pertences e despediu-se: - Adeus, Javier - E só quando cruzou a esquina soltou um riso.

 

 

Espero que estejam a gostar 😉

 

um beijinho,

Annie 

4 comentários

Comentar post