Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 9 - "Just a Little Bit of Your Heart"

Capítulo 9 - Just a Little Bit of Your Heart

 

image

Aquela, fora provavelmente a semana que estava mais desconcentrado nas aulas. E no trabalho. Já tinha recebido o primeiro salário e juntando às gorjetas, Alison tinha razão, era dinheiro a valer. Dividiu, ficando apenas com metade no bolso, guardando o restante dentro do envelope. Conduziu até casa. Comparando com outras noites, o turno terminou cedo. Passavam poucos minutos das duas da manhã quando estacionava em frente a casa. A luz da garagem estava acesa, isso significava que Dave trabalhava.

- Não costumas trazer trabalho...

O irmão saudou-o, limpando o óleo das mãos. - Este carro já devia estar pronto há uma semana, mas ando a engonhar.

Liam pousou a mochila, tirou de dentro o envelope, pousando-o no capô do carro. Dave olhou, indiferente, e continuou a trabalhar. Liam compreendera bem a resposta.

- Não sejas parvo...

- Só o seria se aceitasse - Murmurou.

- Eu sei que a oficina está em dificuldades.

- Que queres que te diga? - O irmão encostou-se à bancada, aguardando por uma resposta positiva. - Sim, a oficina vai mal, assim como a maior parte dos negócios de Chicago. É a crise. Mas ainda dá para pagar as contas - Liam ficou calado e, por momentos, apeteceu-lhe levar o envelope consigo. Já Dave, procurava explicar-se. - Desde quando é que... Tu... Não tens de passar as noites num clube de strip!

- Porque é que todos têm essa ideia? - Bufou, sendo mais um desabafo para si. Começou a ficar irritado. - Não é um clube de strip.

- Por que é que estás a fazer isto? É para impressionares a irmã do Chad? Ela está bonita, hã?

- Faço isto por ti! - Gritou-lhe. - Merda, Dave! Aceita o dinheiro e cala-te!

O silêncio chegou. Dave olhou-o, e Liam, junto do balcão das ferramentas, percebeu que, de maneira alguma, o irmão iria aceitar aquele dinheiro. Com os olhos vergados ao chão, parecia mesmo desolado: - Recompõe-te, Liam - Incentivou o mais velho. - O que aconteceu... Foi há muito tempo atrás. Estás proibido de viver a tua vida em função da minha.  

 

*** 

Na noite seguinte, Liam estava ainda mais ausente. Talvez tivesse sido má ideia trabalhar no clube. Assim que o turno terminou, saiu e conduziu sem destino. Ou talvez sempre tivesse o destino marcado. Sozinho dentro do carro, assustou-se quando ficou encadeado com as luzes do farol de um carro. Apressou-se a sair do carro.

- Estás com um aspeto terrível.

Era Alison.

- Que fazes aqui?

- Eu vi o teu comportamento hoje e... Não consegui ir para casa sabendo que precisas de companhia - Admitiu, iniciando assim, outro momento desconfortável. Liam continuava calado. Que raio fazia ela ali? - Desculpa se piorei a situação... Sei que te sentes culpado e sei que queres ajudar o teu amigo. Mas, neste momento, ele precisa de espaço. E tu de comer qualquer coisa por que...

- Estou com um aspeto terrível - Interrompeu, soltando um  tímido riso.

- Vamos, eu pago - Desafiou Alison, sorridente.

Ele seguiu-a até às roulottes, sentaram-se na mesma mesa do outro dia. Liam permaneceu com o blusão preto e reparou na blusa branca da loira. Os pedidos vieram e de seguida começaram a comer. Liam parecia triste. Será que estava?

- As batatas estão assim tão salgadas que não consigas falar?

- Alison - Disse ele, abanando a cabeça. - Faço tudo errado.

- Duvido. 

- O mês passado menti ao Javier. Disse que não tinha interesse em ti. Curiosidade. E estou a insistir muito, até me irrita, por que suporto bem com um "não". Não sei por quê... Não consigo tirar os olhos de ti - Alison parou de comer, olhando-o. O próprio ficou estupefacto com o que tinha acabado de dizer. Parecia mesmo pacifico, como se tivesse saído da aula de yoga. - Eu acho que também tens curiosidade... Caso contrário não tinhas vindo. 

- Estás bêbado?

- Oh - Suspirou - Essa é a tua teoria?

- Começaste a beber e, depois tomaste consciência. Então, paraste de conduzir. E depois apareci eu.

Ele soltou um riso. E depois apareceste tu, pensou. - Tu és engraçada, miúda.

- Complicada - Corrigiu. - Sou uma pessoa complicada...

Voltaram a ficar sérios. - Preciso mais do que isso. 

 

***

safe haven image

- Tenho a regra dos cinco - Disse finalmente.

- Dos cinco?

- Li, à uns tempos, que se souberes cinco coisas de uma pessoa, que ela nunca te tenha dito, é por que tens de insistir. Vale o teu tempo. Senão, desiste.

- Muito bem... Tu tens um terço na tua carteira. Não me pareces ser católica, mas guardas-o religiosamente. És reservada, quase à dois meses que estás cá e única pessoa com quem falas sou eu. E o Javier. Gostas de ler. Chegas 10 minutos antes do início de cada, sentas-te no terceiro banco a contar da direita e lês. Tu não és loira. Pintaste-o porque te queres sentir diferente. É por essa razão que te inscreves-te em Português. São estas as cinco coisas que não me fazem desistir. Eu não consigo tirar os olhos de ti.

A rapariga não ficou surpresa. Sabia que Liam era capaz de responder.

- Acho que foram mais do que cinco - Foi a única coisa que lhe respondeu.

Era a sua vez. Cabisbaixa continuou, passando as batatas no molho. Liam sentiu-se remitente. E talvez mais triste. - Eu sei que não sabes cinco coisas sobre mim. Mas eu digo-te... Dizem que tenho cara de quem já teve muitas namoradas, mas só tive duas. Nunca acordo com despertador, sempre fui habituado a acordar com uma coisa chamada mãe. Seja conhecido ou não, nunca vou deixar de esticar a mão a quem precisar. Adormeço mais rapidamente no sofá do que na cama. A minha família não é rica e não concordo que tenha de pagar pelos meus erros, então decidi começar a trabalhar e ganhar o meu próprio dinheiro.

Olharam-se uma última vez e assim que Alison desviou o olhar, Liam levantou-se. Depois de pagarem, caminharam lentamente até ao estacionamento. Estava ainda mais frio do que à bocado, portanto Alison, vestiu o casaco e colocou o capuz.

O rapaz perguntava a si mesmo o que significou tudo aquilo. Soltou um "adeus" e quando ia voltar-lhe as costas, ela puxou o seu braço. 

- Isto é o que sei de ti. Fazes tudo pelos teus, mesmo que isso te prejudique. Queres alguém que não desiste de ti e que te cative todos os dias. Deixas-te a tua namorada, ex-namorada, ir embora porque gostas de pessoas ambiciosas. Contigo, ou sabem o que querem ou... Sabem o que querem, não há o "não sei". E também sei que gostas de carros clássicos e de conduzir.

Os seus olhos sorriram, percebendo que aquilo não ia ser fácil. 

Mas ia valer a pena.

 

 

 

Aqui ficou um bocadinho do coração de três importantes personagens.

O que acharam da atitude de Alison, duas noites após ter instalado o caos? A regra dos cinco valerá de alguma coisa? Já agora, estará tudo correto?

Até onde Wendy iria com o seu segredo, caso Alison não tivesse contado a Liam? 😱

Deixem as vossas perspetivas para os próximos capítulos 😊 

 

um beijinho,

Annie 

4 comentários

Comentar post