Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 9 - "Last resort."

Capítulo 9 - "Last resort." 

 

- Tem cuidado - Foi o único conselho de Robert, não concordava mas, sabia que não havia nada a fazer para evita-lo.

- Tenho sempre - Disse mexendo no cabelo do namorado. - Vai com calma, ok?

Robert acenou com a cabeça sério e tentou explicar, novamente. - Sabes que podias resolver tudo de uma maneira mais fácil se falasses com a Claire e lhe explicasses o que sabes, não ir de um dia para outro a Seattle arrancar a cabeça do suposto namorado-casado dela! Não compliques.

- Tu já tentaste e não deu. Ela não quer falar comigo, Robert, mas, mais uma vez, vou resolver tudo porque a adoro - Suspirou, era a última vez que dizia algo deste género - Eu tenho de ir, vou ter uma audição daqui a dois dias, e não queria mesmo perder! Vais estar lá, não vais?- Robert acenou com a cabeça. Porque tinha Andie de ser tão teimosa? - Obrigada pela preocupação, a sério que sim. Eu amo-te. - Deram um longo beijo apaixonado de despedida e a rapariga sorriu - Liga-me quando tiveres novidades.

 

***

Depois de se despedir dos restantes amigos, Andie regressou ao carro juntamente com Ryan. Começara, então, o grande plano. Na teoria, ela e Ryan iriam a Seattle pregar uma grande partida a esse tal professor-namorado de Claire, enquanto Robert ia ver de Zac, animá-lo e falar a sério com Claire, contar-lhe a verdade sobre o seu novo namorado. Por fim, Kelly e Ethan tinham a tarefa de voltar a contactar a Madre, de Las Vegas, que ficou encarregue do filho de Ashley. Sim, iam mesmo trazê-lo de volta. Mas isto, era apenas a teoria, será que na prática vai tudo correr como planeado? E, menos confuso, por favor.

Ia ser um longo caminho para Andie e Ryan. Combinaram fazer turnos relativamente à condução. O primeiro pertencia a Ande.

- Estás bem, Cam? Ainda não disseste uma única palavra desde que saímos de LA.

- Não, não estou nada bem, Ands! Tu namoras com o Robert Pattinson, como queres que esteja bem? Estou chocado! Tu não estás chocada? E, porque não apanhamos um avião?

- Porque não havia bilhetes de última hora. Todos os lugares estavam ocupados e, eu queria ir agora.

Ryan levou as mãos à cabeça, passando ao assunto seguinte: - Eu sei que queres fazer tudo de bom pelos teus amigos, mas Andie, não vais conseguir estar em todo o lado ao mesmo tempo. Tens uma audição, pela qual passa o teu futuro e, não vais conseguir chegar a tempo, tu sabes. Seattle não é já aqui! 

A rapariga não comentou. Fez uma condução defensiva durante a primeira hora, até que decidiram parar.

- Porque é que pensas que tens de ser sempre tu a resolver os problemas dos outros? Esses outros já nem querem saber de ti. A Claire não quer saber de ti. Porque é que fazes isto?

- Eu preocupo-me demasiado e isto, é um last resort. Apeguei-me de uma forma que nunca imaginei. Especialmente ao Robert. Vou fazer de tudo para que isto dê certo porque, eu não sei, faço parte deste grupo maravilhoso - Abanou a cabeça. Lançou um pequeno sorriso - Acho que lá por estar a fazer isto, os outros também o fariam por mim. 

 

***

Nessa altura, Robert estava a estacionar em frente à casa do seu melhor amigo. Zac vivia numa "pequena" vivenda, tinha um cão que mal reconhecera Robert, veio ter com ele abanando a sua cauda. Tocou várias vezes. Ninguém veio abrir. Não se ouvia um único barulho, era deveras estranho. Era como se não estivesse ninguém em casa. Saltou a vedação e espreitou pela janela da cozinha. Nada à vista. Foi, então, que procurou no vaso a chave. Entrou. A primeira coisa que saltou à vista foi a desarrumação. Sempre a mesma coisa, Zac., pensou.

- Alguém em casa? - Repetiu várias vezes, mas permaneceu tudo igual. Abriu logo os cortinados e subiu até ao quarto de Zac, uma espécie de sótão, também muito escuro. - Zac? Estás aí? - Abriu o estore e janelas, deixando a claridade entrar no quarto.

A pequena figura, ensonado, resmungou entre os dentes: - Fecha isso, meu.

- Oh, estás aí. Estou tão feliz por te ver, finalmente! Parece que não sais de casa à três dias. Está na hora de contratares uma empregada, Zachary, isto está uma bagunça. - Revirou os olhos.

- E não saiu, Robert, o que fazes aqui? - Virou-se tapando-se com o cobertor. - Deixa-me aqui a deprimir, comer comida embalada, e ver filmes. Nunca tinha visto até ao fim o Charlie St. Cloud, é tão bonito... Tão triste.

- Deixa-te disso, Zachary! Levanta-te, está um lindo dia! - Puxou o cobertor para trás, começando a limpar tudo. - Não tens aqui nada que se coma, levanta-te, vá!

- Pára de me chamar Zachary! Estão todos felizes sem mim! E isto já nem LA é, está frio e vento, quero permanecer aqui... para sempre.

- Isso é demasiado tempo. Enviei-te dezenas de sms hoje! O que aconteceu à nossa conversa no carro? Não te serviu para nada? - Desligou a televisão e pegou no telemóvel marcando rapidamente um número. - Ei, Rute! (...) Sim sim, é só que, a casa do Zac está uma mixórdia, será que podes vir cá? (...) Muito obrigado! É preferível que passes no supermercado e compres alguma coisa! (...) Obrigado mesmo, Rute!

- Porque ligas-te à tua empregada?

- Porque está certo que não consegues arrumar tudo sozinho. Temos muita coisa para fazer, meu caro. Levanta-te e vai tomar um duche, vite vite! 

Zac levantou-se com pouca vontade. Praticamente rastejou até à casa-de-banho. Talvez Robert tivesse razão. Abriu a torneira, rapidamente a água ficou morna. Normalmente decorria o banho quando sentiu uma mão empurrando a cortina. 

- Hello, my friend!

- Juro que parece que estás possuído! 

- Fiz as pazes com a Andie. Estou tão feliz.

- Então é isso! Pareceu-me logo que se passou alguma coisa.

- Vais continuar a viver em LA, não posso combater inimigos sozinho - Zac murmurou algo que Robert não compreendeu - Zac, se queres que as coisas dêem certo, tens de fazer por elas, não é estares aí a murmurar algo por baixo da água. A Andie e a Kelly vão inscrever-se numa Academia, é uma cena de música, teatro, televisão blábláblá e depois tem as outras disciplinas normais que te podes inscrever, o que é bom para ti, para fazeres Cálculo.

- Eu chumbei a Cálculo no ano passado.

- Por isso mesmo, tenta novamente. Last resort.

- Tenho uma confissão a fazer. - Murmurou enquanto se secava - Pega no meu telemóvel e vê as últimas chamadas - E assim fez Robert, ficando admirado. - Sim, a tua ex-namorada. 

 

*** 

- Chegámos - Murmurou Ethan encostando o jipe ao passeio. Tinham sido quatro longas horas de viagem.

- Ethan, não mete graça, isto é sério - Revirou os olhos acabando por rir-se. - Isto é um centro comercial.

- Isso vejo eu! - Desabafou confuso. Pensou em ligar a Ashley, mas sabia a opinião da amiga, portanto avançou até ao polícia, talvez soubesse de alguma coisa - Desculpe estar a incomoda-lo, sabe onde fica uma casa de acolhimento, da parte da Igreja?

- Bom dia, kids! Foi demolida há uns anos, dando lugar a esta torre - Esticou o braço, cumprimentando Ethan - Precisam de alguma informação?

- Sim, o que aconteceu às crianças?

- Bom, umas foram adoptadas e outras foram para um acolhimento maior em New York. Se quiserem uns contactos dirijam-se ao posto da policia, conseguirão, de certo, ajudá-los.

- Muito obrigado! Tenha um bom dia - Deu a volta ao jipe vendo ainda o polícia a afastar-se. - A Ash vai passar-se.

- Tinhas mesmo de falar nela? Ela está a ligar-me! Que digo agora?

Ethan permaneceu imóvel ao olhar para o telemóvel da amiga.

- O que digo? Ethan!

 

Para melhorar esta tarde super gelada!

Espero que estejam a gostar ❄

um beijinho,

Annie 

10 comentários

Comentar post