Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 1 - "Two Steps Back"

Parte III

 

Capítulo 1 - Two Steps Back

 

 

- Miúda? Olá...

- Ainda bem que vieste - Alison assegurou, atirando-se para os braços de Liam. O seu abraço, reconfortante, fê-la sentir segura.

- Eu fiz o que tu disseste... Fiquei com o Javi o resto do dia... Deitei-me pelas dez horas, mas não consegui adormecer... Então fui deitar-me no sofá... Eu ia respeitar o que pediste... Nem sequer liguei...

- N... Não faz mal... - Ela arrastou, entrando no apartamento. Liam acendeu um candeeiro e, quando reparou, Alison já estava no quarto. No seu quarto. Entrou, também. A mala e o blusão foram atirados para o chão. Ela estava deitada na cama, olhando o teto fixamente.

- Queres alguma coisa para comer?

- Não. Chega cá - Pediu.

Liam também despiu a sua sweatshirt e deitou-se ao seu lado, mantendo uma distância considerável. Ela voltou-se para o observar e depois reconheceu: - Ainda bem que estás aqui. Tu... Tu tinhas razão. Eu não posso continuar a remexer a ferida... És a única pessoa a quem consegui contar... Lembras-te? Apenas contar? Com a Hayley... Eu... 

- Revives-te. Eu vi, Alison... Eu vi-o nos teus olhos.

- Não posso voltar a reviver aquilo... Tive um ataque de pânico. E, desculpa não ter dito nada mais cedo, mas... Acredita... Não tenho a certeza da altura certa em que a memória se transformou num sonho. Num momento, parecia que me ouvia e via a Hayley, todos vocês, no momento seguinte, eu estava naquela sala, a aspirar o cheiro da pólvora, do sangue...

- O Javier deu-te um café, lembras-te?

- Acordei quando dobrei a esquina, tinha um café na mão e uma idosa gritando para cima de mim. Se o Javier me deu o café ou se o roubei? Não sei dizer-te.

Liam aproximou-se, e puxou-a para si. Ele é que não sabia o que responder-lhe. Considerou o silêncio a melhor opção. Ela continuava confusa e, novamente, as palavras só a iam deixar pior. Mas, ao admitir que tinha razão, que o rapaz sabia e queria o melhor para si, era um passo importante - o reconhecimento.

Para Alison, quando menos esperou, o passado voltou para a atormentar.

Uns minutos passados, Liam notou a sua respiração mais regular. Deu-lhe uma carícia na sua mão e depois, quase segredando: - Eu também te amo, miúda - Respondendo-lhe, à sexta-feira passada.

Alison voltou-se para ele. Ele parecia muito calmo, muito seguro de si, enquanto continuava a abraçá-la. Era um conforto, um apoio. Ao olhá-lo, fugazmente, viu o mundo através dos seus olhos.

 

***

3.jpg

 

- Ei Liam, é melhor te apressares... A tua miúda está numa briga. 

- A Alison? 

A pergunta ficou suspensa, correndo, com o seu interlocutor. Tratando-se especialmente de uma festa da Fraternidade, na noite de Domingo, a hipótese de Alison aparecer na festa era inexistente. Contudo, "a tua miúda" não é algo que ouvisse constante e só podia referir-se à loira. Vinha de um colega, trocavam apenas algumas palavras na aula de Pedagogia do Desporto, mas sempre atento. Tão atento que percebeu as trocas entusiasmadas de olhares. Ou talvez só tenha percebido que Liam não tirava os olhos de Alison.

Quando se aproximou, a discussão já estava acessa. Com Wendy, claro. 

- Eu disse que ia descobrir o teu segredo e descobri. 

- Sim, e agora? Vais seguir-me para sempre, contar a toda a gente pela qual tenho um mínimo de afeto? Obrigar-me a fugir e voltares a fazer exatamente o mesmo? É esse o teu plano? Viver a minha vida? Então e se eu não fugir?

- Sim! Vou contar para toda a gente saber!

- Eu salvei a tua vida! 

O circulo formado era cada vez maior, como sempre, palavras de incentivo de ouviam. Javier e Eric lá estavam, assim como Hayley. Liam não quis meter-se. Agora, finalmente, entendia o desespero de Eric, quando lhe falou sobre a vingança, sádica, da Wendy.

- Tu nunca serias capaz de contar... Salvei-te da humilhação.

Wendy estava mais agitada. Gritava e voltava-se para todos os lados, dando um enorme, enorme espetáculo. - Antes de ti, eu tinha um namorado, amigos... Todos nós éramos amigos, sabias? FOSTE TU. A CULPA É TUA. DESTRUÍSTE TUDO!

- Eu não precisei de fazer nada, por que tu fizeste tudo a ti própria. Como sempre, precisas de atenção. Queres bater-me? Queres bater-me para te sentires melhor? Para não te sentires triste pela mulher ridícula em que estás a tornar-te? - Alison baixou os braços. Não ia ripostar mais. Deu um passou em frente, provocando-a. - Força, Wendy... Estou mesmo aqui.

- Não! - O grito era o de Liam, evitando o conflito. Empurrou algumas pessoas até alcançar Alison e tirá-la dalí. 

Javier também se chegou à frente: - Pára com isso, Wendy. Tu falas que a Alison é isto e aquilo, a vilã da tua história mas... Eu estou aqui à, sei lá, talvez cinco minutos e só te oiço a ti a insultá-la. Não ouvi, nem por um segundo, a Alison a virar-se contra ti. A contar o teu segredo, como tu dizes, a esta gente toda que o desconhece. Espero que não estejas a esquecer que quem começou tudo... Foste tu. Podes continuar a gritar-lhe, ela não vai virar-se contra ti. Ela é demasiado bondosa para o fazer.

 

 

Olá a todos/as! 😎

Ainda está alguém por esse lado?

Eu estou de regresso para a Parte III, a última de I Can't Take My Eyes Off You. Quem está entusiasmado? ✋

Deixem, num comentário, os vossos desejos e suposições para esta Parte III.

 

 

um beijinho,

Anna.

2 comentários

Comentar post