Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 22 - "Stuck on You"

Capítulo 22 - Stuck on You

 

Imagem relacionada

- Ela sabe, Liam! A Hayley sabe quem eu sou. 

Franziu, enquanto fechava a porta, lentamente. Alison passou-lhe o bilhete que Hayley deixara. Era um papel amarrotado, dizia: "Desculpa, Alexis. Eu também não queria que fosse assim.", leu de imediato, a letra inquieta. Hayley tinha pressa.

- Não faz mal, miúda - Tentou descansá-la, enquanto subiam ao terraço. Puxou de duas cadeiras e, ao sentar, só de olhar para o infinito dos olhos da loira, Liam percebeu, mas não queria. Ganhou coragem: - Mas... Tu disseste que não ias embora. Outra vez.

- Ainda não disse nada...

- Não precisas.

Era inegável que Alison queria sair. Ir embora era fácil, sempre foi. O pior, era saber o que fazer a seguir.

- Ela descobriu, sim, e então? Sempre que alguém descobrir vais fugir? Mudar a tua vida, os teus planos? - Questionou, como suplicando para não o deixar. - Não, não, Alison, por favor. Tu não tens de fugir mais, eu já te disse, não tens de fugir de ti... Tens o coração mais partido que alguma vez conheci, mas isso acabou. Estou a apanhar todos os pedaços, até os mais pequeninos, aqueles que cortam os pés, por ti. Podes parar de correr, de fugir. Ou... Ou, fugimos os dois - Acabou por lhe sair, em desespero. Alison soltou um riso. - A sério! Tu conheces-me, e sabes que, se estou aqui, contigo, é por que vales a pena. Tu não vais desistir por que eu também não vou.

Passou a mão pela cara de Liam, preparando-se para mais uma revelação. Aquela em que se sentia culpada. - Eu e a Hayley tivemos sempre ligadas... Eu é que percebi isso tarde demais.

- Como?

- O ex-namorado dela, o Bill, que lhe ofereceu o colar... Era meu colega de turma... Morreu no massacre.

- Tens a certeza?

- A Hayley mostrou-me a fotografia deles... Depois disso, não podia mandá-la embora. Tinha acabado de mudar-se para cá e não tinha desculpa. O que lhe dizia? Que tinha mudado de ideias e preferia viver sozinha? Que o dinheiro dela não ajudava para pagar as contas? Logo, a Hayley. Nunca nos víamos... Só tínhamos uma aula juntas. Depois da faculdade ia trabalhar para a pastelaria só regressava ao final da tarde. Trazia bolos, bolos! A essa hora eu já estava no clube e quando voltava de madrugada, já ela estava a dormir. O que poderia correr mal? A melhor colega de casa de sempre.

Passou as mãos pelo rosto. Era tarde, o seu raciocínio também estava mais lento. Não sentia tanto frio, como de início. Era sempre assim. Estar perto de Alison deixava-o bem. Porém, escolhia cuidadosamente as palavras para tentar compreender: - Mas a Hayley não conhecia... a Alexis?

- Não... Ela andava noutra escola. Eu... Sabia que a namorada do Bill se chamava Hayley, sabia da história do colar... Mas, quando vi o colar, aqui, muito sinceramente... Não relacionei as coisas.

- Como é que ela soube?

Alison não respondeu logo, mas tinha um palpite. Receosa: - Javier... Provavelmente. 

- Não! - Ele quase gritou, defendo o amigo. - Claro que não! Sei que ele está zangado ou parvo, ou o que quer que seja, contigo, mas não ia contar. Juro-te.

- Não jures. O Javier e a Hayley passaram algum tempo juntos, Liam, é uma verdade, ele pode ter dito.

- Estás errada...

Alison interrompeu: - Não jures. Não ponhas as mãos no fogo!

- Estás errada, Alison! - Alison. O nome ecoou na mente de ambos. - Estás errada... Miúda. - Ele corrigiu, mais calmo. - Vou provar-te. Vamos encontrar o Javier e ele vai dizer-te.

 

*** 

Resultado de imagem para matt bomer serious gif

Veio o silêncio. E uma chuva forte. Desceram ao apartamento e Alison insistiu para Liam ficar lá. Ir agora para a rua, sem necessidade, era constipação certa. Ele concordou, afirmando que ficava no quarto vago, de Hayley.

Não dormiu nada, só voltas e mais voltas, analisando toda a situação. Continuava sem estar aborrecido com Alison, sabia que coisas aconteciam, mas tinha tanta, tanta fé no seu amigo. Na manhã seguinte, ainda cedo, conduziu até à oficina de Dave.

- Aqui está o meu mano! Que tal vais?

- Estou bem, Dave... Então, o que sabes?

- Passei pela loja de conveniência, como já vos tinha dito, lembras-te? Ele nunca estava. Há umas, duas semanas, acho eu, encontrei o dono. Disse-me que o pai do Javier já não trabalhava lá à três meses. Nessa tarde liguei-lhe... Apenas a perguntar onde poderia encontrá-lo... Ele não sabia de nada. Na semana passada apareceu cá, sozinho, com uma conversa que tinha de sair de Chicago por uns tempos. O carro dele continua à porta de casa... Toca lá... Se calhar está caído na banheira, de ressaca.

- A ressaca está a sair-lhe cara. Um colega do Resort ligou-me... Na sexta passada o Javier despediu-se e como se não bastasse... Faltou ao último exame - Anunciou, encolhendo os ombros. Aconchegou o gorro, afastando-se. - Vou passar lá agora, obrigado! Cumprimentos ao Chad!

- Vá, Liam, não provoques! - Ainda ouviu o irmão dizer, entre um riso.

Avançou com o carro, e estacionou-o atrás do de Javier. Caminharam às traseiras. Alison seguiu Liam, sempre atenta ao caminho. Veio-lhe à memória uma festa do espanhol, a primeira em que compareceu, e recordou a sua conversa com Liam, encostados mesmo aquele muro.

- Como é que sabias que havia aí uma chave? - Alison perguntou, curiosa, após ver Liam agachado, desenterrando, de um vaso, uma pequena chave.

- É estúpido, mas... O Javi diz que posso entrar em casa dele, a qualquer hora. Não preciso de convite, de tocar, de mandar mensagem antes... Nada. Quis dar-me a sua chave suplente, um dia. Eu recusei. Mas ele continuava a insistir e concordámos que ficaria no vaso. Assim foi... Só nós sabíamos... Agora tu.

Assim que passaram a porta, depararam-se com um estado de desarrumação extremo. Não havia sinais que alguém estivesse sequer a habitar a casa. Alison abriu o frigorífico, observando o seu interior - várias cervejas e alguma comida rápida - quando voltou à questão.

- Então... Ele deixa sempre a chave ali?

- Mesmo quando nos afastámos, a chave continuava lá - Liam respondeu, remexendo em algumas cartas.

- Como é que sabes?

- Vim cá, numa noite, sim, à noite, não queria dar o braço a torcer, mas queria vê-la. Queria ter a certeza que era um arrufo passageiro. E finalmente percebi, enquanto a chave estiver aqui, há confiança...

Alison sorriu genuinamente. - Não é estúpido, Liam, é adorável. Era disto que falava, ainda ontem!

 

 

Cheio de revelações, não acharam? 🤫

Que raio se passa com o nosso Javier?

Tudo isto e muito, muito mais, incluindo Hayley, nos próximos capítulos! 😨

 

 

um beijinho,

Anna Williams.

4 comentários

Comentar post