Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 4 - "I Wish You Would"

Capítulo 4 - I Wish You Would

 

1.jpg

- Olha quem é ela... Por acaso não estás perdida ou algo assim?

- Sempre a mesma doce, Wendy! - Isobel voltou-se e sorriu cinicamente para a outra. - Até podia estar, mas não é o caso.

- O que te trás por cá?

- Ver os meus amigos do secundário é motivo? - Isobel lançou um sorriso. Continuava elegante, confiante e mais loira, se é que era possível. Encostou-se, de frente para as bancadas.

- Acho que não.

- Ouvi sobre a tua discussão com a Ali e o Javier... Parece que ela recuperou a sua paz - Isobel comentou, enquanto olhava para Liam e Alison, uns bancos mais à frente. Wendy também os olhou, por breves minutos, mas não falou. Recostou-se, de braços cruzados. - Como é que o Liam ainda consegue olhar para ela? Que se passa, Wendy? As palavras do Javi afetaram-te? Antes falar mal da Ali era super divertido!

- Tens de te acalmar! Que há de divertido em falar nas costas de alguém que nem sequer conhecemos? - Wendy lançou a pergunta, ficando também a pensar na resposta. Não impedia que Isobel se expressasse, mas já não conseguia criticar Alison. Não depois de tudo. Aprendeu a lição que stressar e ficar obcecado com alguém não é saudável e já lhe custou outras coisas.

- Nós conhecemos a Alison!

- Não, Izzie, não conhecemos - Ela disse logo, afastando-se um pouco. Isobel falava alto, como se fizesse de propósito para todos ouvirem. Isobel quando voltava à cidade, parecia sempre um míssil. Gostava de dar espetáculo para receber atenções. - Nós só conhecemos uma pequeníssima parte da história dela.

- E também conheço o Liam e sei que ele sabe zangar-se à homem! Pelo menos sabia.

- Mas por quê? Por que é que devia continuar zangado com a Ali? - Os pensamentos de Wendy saíram diretamente sem esta os poder processar. Por que estás tão brava quando poderias estar simplesmente contente por estar viva?

- É o que todos pensam! Quer dizer, a Alison riu enquanto mentia e o Liam voltou diretamente para os braços dela! Que raio, não?

- Chama-se amor, Izz...

- Nem acredito como até o Javier, que tem dois palmos de testa, a defende!

- Cala-te!

- Amor? - Isobel soltou uma gargalhada, ainda pensando na opinião de Wendy.

- Sim! Sentimento que não vais receber se continuas assim!

Isobel começou a ficar impaciente. - De certeza que estás numa faculdade? Parece que levaste uma lavagem cerebral! - Voltou a barafustar, como se estivesse na idade das trevas.

- Acorda! És adulta e essa fase já devia ter passado - Wendy tomou a sua posição. Na verdade, era mesmo isso. Wendy cresceu. Custou, mas cresceu. E já não gostava dos joguinhos de Isobel e muito menos do seu palco cheio de crimes perfeitos. Ouvir o Javier ajudou. Alison era mesmo uma alma bondosa. - Precisas de controlar os teus impulsos de gritar sobre toda a gente que odeias.

- Falamos quando assentares as tuas ideias... Vou passando por aqui... Gosto destes ares.

 

***

2

 

Viu-o a sair do campo para a alcançar. Tinha aquele sorriso como o de uma criança a deixar as luzes da Natal até Janeiro. Uma aura deslumbrante, meio misteriosa, era sempre o que Alison via.

Era dia de avaliações intermédias e Liam tinha andado a treinar e estudar todos os dias. No entanto, não ficou surpreendido com a presença da loira nas bancadas, a apoiá-lo. O dia amanheceu nublado, mas foi melhorando. Foi uma manhã ultravioleta, segundo Alison.

- Por um momento, achei que isto fosse um concurso de modelos - Liam riu-se com a observação de Alison. Ela debruçou-se no separador da bancada-campo para lhe dar um beijo na face, ainda húmida de suor.

- Com aquelas madrinhas e tudo - Ele adicionou, referindo-se a Wendy e Isobel, que os olhavam.

- Já falaste com o Javi? - Alison perguntou. Vinha-lhe sempre à cabeça perguntar. Liam desviou o olhar e a loira entendeu, de imediato, que a resposta era um válido não. - Ok, por quê, Liam?

- Quase que nunca o vejo... Deve andar lá para a fraternidade.

- Na mesma faculdade, no mesmo curso, na mesma casa... Já ouvi desculpas melhores... Não achas que já chega? Está na altura de fazer as pazes. É que por este andar nem no natal do ano 2050 vão trocar presentes.

Liam riu, enquanto abanava a cabeça. Tentava desvalorizar o assunto, mas Alison estava sempre lá para o acordar, cheia de humor. Ela só queria ir para onde Liam fosse. Guardar todas as piadas para fazer Liam rir e, em cada mesa, guardar-lhe um lugar. Amava-o á dois verões, mas queria mais, queria-os a todos.

- Isto complicou, miúda.

- Não acredito.

- Sim, mas ele tem que ter noção do que diz.

- Todos cometemos erros, Liam. Todos nos arrependemos de coisas que fizemos no passado e dizemos coisas sem pensar nas consequências, mas isso não quer dizer que o Javier deixe de ser de confiança - Explicou. Alison sempre teve um coração grande e um irrepreensível espírito. Ela queria mesmo que tudo voltasse ao normal entre os dois amigos. Por que lutar contra aquela amizade é como estar num ringue de box sem luvas.

- Quero que ele te aceite.

- E aceita! Mas não podes falar-lhe um bocadinho e depois nada. Tens de continuar a insistir!

- Não estou com paciência, Alison - Ele disse quando sentiu as mãos atadas. Bufou. - Tenho que ir... Ainda vou para o Resort. Tenho um turno duplo à minha espera.

Alison olhou-o, por um minuto, sem nada dizer. Percebeu que ficou chateado, mas também não punha culpas em cima da loira. Para Alison, era excruciante vê-lo para baixo. Só queria levantá-lo e nunca largá-lo. Foi então que lhe veio à cabeça uma coisa, mas talvez não corresse conforme planeado. - Tens razão, desculpa. Jantamos juntos amanhã? Eu levo comida. Frango?

- Frango... Perú... Tanto faz - Encolheu os ombros, desinteressado. Levantou-lhe o braço e, em seguida, caminhou para os balneários. Era esta atitude que relembrava Alison que, talvez, o amor deles fosse torto.

 

 

Espero que tenham gostado do capítulo! O regresso de Isobel e Alison a tentar, por tudo, que Liam termine a zanga com Javier 🤔

Muito obrigado pelo apoio! 😊

 

 

um beijinho,

Anna.