Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Tower of Writing

you will never guess her secret...

Capítulo 23 - "Ch-Ch-Changes"

Capítulo 23 - Ch-Ch-Changes

 

- Liam - Alison apareceu, vinda do quarto em frente, dos pais de Javier. Encostou-se à ombreira da porta. Liam tinha conseguido ligar o portátil de Javier e todo o seu interesse estava na máquina. - Eu acho que a mãe do Javier não mora cá... Há meses. Longos meses.

- O quê?

- Não há uma única peça de roupa de mulher nas gavetas... O armário está cheio de pó. Não há frascos de perfumes ou boiões de creme... Maquilhagem, nada... Ela foi-se embora.

Liam ficou mais pensativo, voltando a olhar para o ecrã. Alison era, deveras, uma mulher inteligente. Se calhar, a mais inteligente que alguma vez conheceu. Era óbvio que ela conseguia ajudá-lo. Mesmo com o silêncio, após subirem ao primeiro andar, ajudava-o a pensar.

- Então e o pai dele? Só encontrámos pó, contas por pagar e cerveja... Nem uma decoração de Natal... Do Javier também não há sinal... O que é que se passa com esta família?

- O Javier, como qualquer bom espanhol, é muito ligado à família, especialmente à mãe, portanto...

- Se encontrarmos a mãe...

- Encontramos o Javier - Liam concluiu. Reuniu a informação que sabiam, acompanhado por gestos. - Eles separaram-se. Ela foi-se embora. Mas, então... Para onde foi?

- Para casa de um amigo, familiar... Conheces algum?

- Sim... Uns primos no Indiana, ahm... E também há... - Ele parou. A loira não lhe tirava os olhos. De cabelo apanhado, lábios vermelhos e uma gargantilha soft, apenas pensou que aquilo não podia ser bom sinal. - Oh, não...

- O quê? - Alison perguntou, inutilmente, vendo Liam vasculhar, de forma quase desesperada, as gavetas e murmurando Não, não, não. - O que é que procuras?

- O passaporte, Alison! Não está cá...

- Talvez esteja no vosso apartamento, da faculdade.

Ele negou. Tinha a certeza que Javier não levou o passaporte para a faculdade. Vasculhou a gaveta toda. Parou, sério. Mais calmo, voltou a colocar tudo no sítio. - Eu sei onde está o Javier.

- Onde?

- Venezuela - Afirmou, enquanto procurava pelo seu telemóvel.

Alison viu-o mexer numa aplicação qualquer de compra e venda de bilhetes para voos. E também viu que só colocou 1 quantidade. Resmungou logo: - Então e eu?

- Tu não vens, miúda - As desculpas passavam pelo facto de, nesta época do ano, os voos se atrasarem e, não queria arriscar que Alison não estivesse em Chicago pelo Natal. Por que os seu pais iam compreender, tratava-se de Javier, afinal, mas os de Alison, depois do que já passaram, só queriam a sua menina em casa. Porém, Alison argumentava em ir.

- Tens a certeza? Faltam apenas dias para o Natal... 

- Bom, não há ninguém, mais do que tu, com quem queira passar o Natal... Mesmo num país estranho.

 

 

***

image image

- Confio em ti para lhe incutires algum juízo, Liam - Foram as palavras doces da mãe de Javier, enquanto encaminhava Liam para uma sala, nas traseiras da casa. Estava zangado com Javier, mas felicíssimo por o ver.

Assim que a porta bateu e Javier se voltou, parecia surpreendido por ver o amigo ali. Longe de casa.

- Não me deste outra alternativa... Faltas ao exame, despedes-te... Como queres pagar a faculdade?

- A escola acabou para mim - O espanhol disse logo, não dando hipóteses de Liam continuar. Puxou uma cadeira e fez sinal para se sentar. Liam tirou o casaco e assim o fez, em silêncio. Quando se sentiu preparado, ou sentiu Liam mais calmo, começou: - Vê, mano. O meu velho pai tem um problema. Desde que perdeu o emprego, vive com a garrafa. Diz que é velho demais para trabalhar, mas o corpo dele é muito jovem para ter aquela aparência. A minha mãe deixou-o e foi-se embora. Há três meses.

- Não fazia ideia...

- Nem eu! Quando o Dave me ligou, não sabia o que pensar. Na altura não consegui falar com a minha madre, então, num fim-de-semana, vim a Chicago e descobri tudo. Repreendi o meu padre, mas a madre... Já não estava nos Estados Unidos. Apanhei o primeiro voo para cá e tenho estado com ela desde aí. Ela deixou-o por que... Quer mais da vida do que ele pode oferecer...

Liam suspirou e passou a mão pelas costas do amigo.

- Vou deixar a escola e tratar do meu pai.

- É esse o teu plano?

- Eu não tenho um plano, Liam...

- Eu sei, é por isso que tens de ouvir-me. Tu trabalhas-te muito para entrar naquela faculdade... Não vais entregar tudo a perder... Entrámos na faculdade para fazer o nosso curso, ter uma boa vida e ser alguém. Começámos isto os dois, juntos, Javi...

- Bom, já não somos dois...

- Sobre a Alison? Outra vez?

- É tudo sobre ela!

- Isto, não é. É sobre ti. E o que é sobre ti, é sobre mim também. Sem a Alison, apenas tu e o eu - Ele começou por explicar, sério, distanciando as situações. - Eu tenho um plano, para nós... Sim, nós... Eu sou teu amigo, Javier... Vou recuperar o teu trabalho, e tu, no início do novo ano, inscreves-te na 2ª fase do exame. Só tens de fazer um... Vai correr bem!

- Então e o meu padre?

A porta voltou a abrir-se, interrompendo a conversa. Era a mãe de Javier, chamando os rapazes. 

- Espera, Liam, como é que... Me encontraste?

- Por acaso, foi bastante fácil - Liam admitiu, dando um pequeno riso. Antes de seguir, explicou tudo ao espanhol: - Entrámos na tua casa. E... Acabámos por encontrar umas cartas antigas entre a tua mãe e a sua amiga daqui, da Venezuela... O destinatário era sempre o mesmo... Isto foi à dois dias atrás. Assim que aterrámos colocámos logo essa morada no GPS...

 

 

Obrigado pelo apoio, até ao próximo capítulo 😍

 

um beijinho,

Anna Williams.